21/12/2014

RESENHA #49: Quando Tudo Volta, do John Corey Whaley.






Título: Quando Tudo Volta
Autor: John Corey Whaley
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 224
Nota: 4/5

Sinopse: Uma overdose. Um fanático estudioso da Bíblia. Um pássaro lendário. Pesadelos com zumbis. Coisas tão diferentes podem habitar a vida de uma única pessoa?

Cullen Witter leva uma vida sem graça. Trabalha em uma lanchonete, tenta compreender as garotas e não é lá muito sociável. Seu irmão, Gabriel, de 15 anos, costuma ser o centro das atenções por onde passa. Mas Cullen não tem ciúmes dele. Na verdade, ele é seu maior admirador.
O desaparecimento(ou fuga?) de Gabriel fica em segundo plano diante da nova mania da cidade: o pica-pau Lázaro, que todos pensavam estar extinto e que resolveu, aparentemente, ressuscitar por aquelas bandas.
Em meio a uma cidade eufórica por causa de um pássaro que talvez nem exista de verdade, Cullen sofre com a falta do irmão e deseja, mais que tudo, que os seus sonhos se tornem realidade. E bem rápido.


Esse livro começa com Cullen Witter, que vive sua vida normal, trabalha, estuda, tem seu melhor amigo Lucas. E tem um irmão mais novo chamado Gabriel, que é o oposto dele. Enquanto Cullen não é lá muito sociável, Gabriel sempre é o centro das atenções, sociável, brincalhão. Mas um dia ele some, sem deixar pistas sobre seu paradeiro. Foi fuga? Sequestro? Será que ele está vivo? Ou morto? Mas antes disso acontecer, Cullen sofre com a perda do primo, que era viciado em drogas e morre de overdose. Quando Gabriel some, tudo fica meio desestabilizado. As pessoas passam a olhá-lo diferente, um olhar de pena. A mãe e o pai ficam desolados, sem notícia alguma sobre Gabriel. E, no meio disso tudo, surge um cara que diz ter visto o pica-pau Lázaro, que até então estava extinto, numa determinada área da floresta. A partir daí, a cidade toda fica alvoraçada, cheia de turistas procurando o tal pássaro, e acaba que o desaparecimento de Gabriel fica em segundo plano. Não há mais tanta repercussão na TV e nem no jornal, o que acaba por deixar Cullen bastante decepcionado.

O livro me pareceu meio confuso, porque a gente não vê só a história do Cullen e o desaparecimento do seu irmão. No meio disso tudo, surge um personagem chamado Cabot Searcy, e ele vai sendo encaixado na história de um jeito um tanto quanto confuso no começo, mas que acaba por fazer sentido à medida que vamos chegando a reta final da leitura. 
Algumas partes me deixaram bem confusas, como quando o livro volta ao passado pra mostrar um pouco sobre o Cabot, e como essas partes não tem nada, nenhum tipo de data, me deixou confusa. E há também os pensamentos do Cullen, que podem ser facilmente confundidos com a histórias, pois não é feita nenhuma mudança na fonte da letra que te indique que aquilo não é real, entendem?
A leitura em si, não me agradou muito, não me acrescentou muito, eu não peguei muito ritmo lendo. Pode ser essa coisa de "não é o momento certo pra esse tipo de leitura", sabem? Mas, como esse livro fez parte de um BookTour que eu participei, e eu tinha o prazo de 2 semanas para ler e passar adiante, não tive escolha, então não consegui captar muito a essência do livro, por isso que acabei tirando 1 ponto da nota.


Então meus amores, por hoje é só. Espero que tenham gostado da resenha, não deixem de comentar com suas opiniões, se você já leu esse livro ou não, se gostou, enfim... comentem aqui :) Ah, e não deixem de seguir o blog também, ok? Me deixa muito feliz.

É isso, um super beijo e até a próxima :*

Comente com o Facebook:

Um comentário:

  1. Ai Paulinha, eu gostei muito deste livro. Não sei se é porque sou acostumada a ler muito romance policial, eu não achei confuso e nem me embaracei com as mudanças narração. Mas cada um tem uma visão. É legal sempre conhecermos de tudo e retermos o que for bom. Pelo menos valeu a experiência do booktour né! Bjos! ^^

    Biula (http://sibipapoliterario.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©