26/03/2014

RESENHA #23: Histórias Mínimas, Sobre medos e flores e Azul inalcançável da autora Maiesse Gramacho.

Olá leitores,

Me perdoem pelo sumiço mais uma vez, mas é que estava sem computador, rs. Eu uso o notebook da minha irmã pra atualizar o blog, mas esses dias ele não estava ligando, por isso o blog estava meio parado. Hoje venho com uma resenha tripla pra vocês, resolvi fazer assim pois os 3 livros em questão são da mesma autora e são super fininhos, então pra facilitar e não ficar enchendo o blog de resenhas, resolvi fazer assim dessa vez. Os livros resenhas são esses cujos títulos estão no post, vou resenhar nessa ordem, pois foi a minha ordem de leitura, ok? Vamos lá então!


Título: Histórias Mínimas
Autora: Maiesse Gramacho
Editora: Kiron
Número de Páginas: 58
Nota: 5/5

Sinopse: Maiesse tem o mesmo perfume de Cecília Meireles, Ana Cristina Cesar e Martha Medeiros. Traz também a rebeldia de Anaïs Nin, que dizia: "Me nego a viver em um mundo ordinário como uma mulher ordinária. A estabelecer relações ordinárias. Necessito o êxtase". José Carlos Vieira, Escritor e editor do caderno Diversão & Arte do Correio Braziliense.

Resenha: Esse livro é encantador. É pequeno(no tamanho) e fininho, então você acaba o lendo em apenas alguns minutos(o que aconteceu comigo), mas sabe aquela sensação de que você sempre vai pegar o livro pra ler determinadas coisas? Então! Esse livro trata-se de minicontos e frases que te encantam do começo ao fim. Quando terminei o livro, fiquei com vontade de ler e reler novamente, e anotar todas as frases que gostei no meu caderno. É um livro doce, puro e cheio de sentimentos que nos identificamos como amor, tesão, fé. A minha parte favorita foi a Do Amor, porque eu sou do amor e para o amor. Não há como não gostar das palavras e da escrita da Maiesse, ela te cativa sem que você perceba. Recomendo!

Título: Sobre medos e flores
Autora: Maiesse Gramacho
Editora: Kiron
Número de Páginas: 66
Nota: 5/5

Sinopse: Faço das palavras da Lya Luft as minhas quando esclarece: "Nem sempre, quando eu falar em primeira pessoa, estarei relatando coisas minhas; não estarei sendo objetiva todas as vezes que usar da terceira pessoa. (...) Não me interessa delimitar o vivido ou o inventado. A realidade objetiva - se existe - importa menos: o mundo chega até mim filtrado por minha visão pessoal".
É um mundo "filtrado" por minha visão pessoal que ofereço nestes textos - crônicas publicadas entre 2004 e 2005 em jornais de Brasília, mais algumas recentes e inéditas. (A autora).

Resenha: Este livro contém várias crônicas da autora, publicadas nos jornais de Brasília e outras recentes e inéditas. Nesse livro, ao lê-lo, me senti mais próxima da autora, como fôssemos amigas e estivéssemos conversando, e não posso deixar de dizer que esse livro também me encantou e muito. O trabalho da capa é lindo, todo delicado e simples. Posso dizer até que me identifiquei com algumas crônicas desse livro, mas uma em especial me chamou a atenção, que foi a que a autora fala do seu pai e do falecimento dele. Foi como se ela estivesse falando dos mesmos sentimentos que tive quando perdi o meu pai em 2009. Livro lindo, encantador e de leitura simples. Recomendo também! Foi um livro que me arrancou suspiros e sorrisos.

Título: Azul inalcançável
Autora: Maiesse Gramacho
Editora: Kiron
Número de Páginas: 62
Nota: 5/5

Sinopse: Em Azul inalcançável, a jornalista Maiesse Gramacho volta seu olhar para aspectos sutis do cotidiano: as contradições nossas de cada dia, as dificuldades que encontramos para nos comunicar, as dúvidas que muitas vezes povoam nossas almas e os medos - sim, no plural - que nos impedem de tomar atitudes capazes de mudar destinos.
O livro tem apresentação de outra escritora de Brasília, a psicóloga Adriana Kortlandt, autora de Almagesto - contos anímicos e Fios da Memória - Um guia para escrever de si, ambos publicados pela Thesaurus Editora.
Maiesse Gramacho é neta do poeta e tradutor baiano Jair Gramacho, ex-professor da Universidade de Brasília(UnB) e autor, entre outros, de Hinos Homéricos(Ed. UnB, 2003).

Resenha: Esse livro também trata-se de minicontos e contos, a autora compartilha alguns que ela já havia publicado num jornal onde trabalhou. Esse foi o último livro lançado pela autora(até então) e também é fininho, como os outros dois. Enfim, foi uma leitura deliciosa, apesar de rápida, mas que, com certeza, vou me pegar lendo várias e várias vezes. Ela é de uma sensibilidade sem tamanho, e você logo percebe isso através de sua escrita. Sei que vou repetir essa palavra mais uma vez, mas não acho outra que se encaixe melhor... Fiquei encantadíssima, mais uma vez! E claro, recomendo muito também!


Então meus amores, por hoje é isso. Espero que tenham gostado da resenha tripla, e não se esqueçam de deixar um comentário aqui e seguir o blog também hein.

Beijos e até a próxima.

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela atenção, Ana Paula!
    http://arquipelagodamemoria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©